Criolipolise

Tire suas duvidas !

- Opte pela máquina mais tradicional de mercado e que apresenta resultados superiores: Crio Top Redux. Este equipamento é fabricado pela Advice que é uma empresa que possui grande know-how em equipamentos de congelamento de gordura. Existem máquinas no mercado muito mais baratas e que foram lançadas há muito menos tempo que a Crio Top Redux e que não apresentam resultados bastante inferiores.

- Fuja de máquinas que possuam mais de uma ponteira. Estes equipamentos apresentam resultados muito inferiores às máquinas de apenas uma ponteira.

 

 - Não existe qualquer comprovação cientifica que a chamada CRIOLIPÓLISE DE CONTRASTE funcione. Opte sempre pela Criolipólise convencional. 

- Somente faça o tratamento com máquinas que sejam certificadas pela Anvisa.

-  A Criolipólise sem adição de qualquer outro tratamento resulta em uma perda de 20 a 30% de células de gordura. Desconfie de Clínicas que insistem em vender tratamentos associados (pré e pós Criolipólise) como drenagem linfática, lipocavitação, drenomodeladoras, etc. etc. etc. com a promessa de potencializar os resultados da Criolipólise. Não existe nenhuma comprovação cientifica de melhora de resultados com  estas associações. E o mais preocupantes: estas associações podem gerar efeitos adversos no organismo.

- A manta ou película é um dos materiais fundamentais para que não se tenha queimaduras na pele. Exija mantas que sejam certificadas pela Anvisa e registradas neste orgão como “mantas para Criolipólise”.

- A avaliação para se verificar se o paciente tem indicação para o tratamento é bastante simples e rápida. Com um simples adipometro e uma boa técnica de segurar com as mãos a gordura alvo do tratamento, sabe-se com precisão se o paciente tem indicação e se o tratamento resultará em bons resultados. Não acredite em "Mapeamento termográfico" e fuja de clínicas que queiram cobrar por esta avaliação.

-Fuja dos preços muito baratos. A máquina de Criolipólise é muito cara. A técnica especializada (pessoa que aplica o tratamento) é uma mão de obra que  tem um custo importante para clínicas. Não existe milagre, se o preço é muito barato suspeite.

Saiba que os sites de compras coletivas ficam com 40% - 50% do valor anunciado. A clínica que entra neste tipo de promoção terá que fazer verdadeiro milagre para não perder dinheiro.

O tratamento estético chamado Criolipólise faz mal ao organismo?

Criolipólise é um dos sistemas mais efetivos de redução de gordura localizada sem a necessidade de cirurgia. 

A Criolipólise atualmente é um método bastante utilizado por homens e mulheres que não desejam passar por uma lipoaspiração que apresenta muitos riscos e tem um pós-operatório não muito fácil.

A Criolipólise é uma técnica que elimina gordura localizada através do congelamento controlado de uma determinada área do corpo. Com apenas uma aplicação é possível eliminar até 30% de gordura da região tratada. Indicado para aqueles pacientes que desejam se livrar do excesso de tecido adiposo, o procedimento pode ser aplicado em diferentes áreas do corpo. 

Em toda a pesquisa científica, não existe constatação que o procedimento faça mal ao organismo.

Que resultados esperar da Criolipólise?

A Criolipólise é considerada um tratamento definitivo pois realmente elimina as células de gordura que foram submetidas ao congelamento.  Em uma dieta ou mesmo em uma sessão de drenagem linfática, perde-se medidas porque as células de gordura perderam conteúdo apenas. 

Ao contrário, o congelamento mata e elimina as células de gordura em até 30% da área submetida ao procedimento.

 

Como funciona o tratamento através do congelamento de gordura localizada?

As células de gordura são extremamentes sensíveis ao frio, ao contrário dos nervos, peles e músculos. Dessa forma, o frio intenso não gera danos à estas areas adjacentes.

O congelamento impacta as células de gordura fazendo com que estas sejam cristalizadas, alterando sua forma celular.

Nesta hora, o organismo reconhece as células como corpos estranhos começando um processo de ataque que causará a morte destas.

 

O que acontece com o paciente após a sessão de Criolipólise?

Por tratar-se de um procedimento não-invasivo, o paciente poderá retornar às suas atividades diárias logo após a realização do procedimento.

Como funciona o tratamento Criolipólise?

A máquina de Criolipólise através de uma ponteira succionará a pele e a gordura subcutânea e as manterá em congelamento por 55 minutos à temperaturas que variarão de -5 a -10 graus centigrados.

A temperatura será definida em função da pele e densidade de gordura de cada paciente.

No período de congelamento, haverá déficit de oxigênio ocasionando a morte das células de gordura. Estas células cristalizam-se e são levadas pelo sangue ao fígado que as elimina.

Durante o procedimento de Criolipólise, a pele do paciente será protegida por uma manta ou película evitando assim o risco de queimaduras ocasionadas pela baixa temperatura.

Há efeitos colaterais no congelamento de células de gordura?

Não há efeitos colaterais.

Devido à pressão exercida pela ponteira do equipamento na sucção da pele e gordura, na área tratada poderá apresentar vermelhidão ou até mesmo pequenos hematomas na região.

Estas marcas são temporárias e sumirão dentro de cerca de uma semana após o tratamento.

 

Qual é a duração de cada sessão de Criolipólise?
Cada sessão de Criolipólise dura cerca de 55 minutos.

 

Qual é o tamanho da ponteira da máquina de Criolipólise?

A ponteira é a parte do equipamento de Criolipólise que sugará a gordura que passará pelo tratamento. 

Cada ponteira sugará em média, uma região de 20 cm quadrados. 

Deve-se evitar a utilização de ponteiras grandes e sempre utilizar as de tamanho médio. Nossas pesquisas mostram que os resultados obtidos com a ponteira grande são imensamente inferiores aos da ponteira média.

 

Quais são as contra-indicações da Criolipólise?

São contra-indicados a realização da Criolipólise em  mulheres grávidas, pessoas obesas , pacientes que têm alta sensibilidade ao frio, pessoas com menos de 18 anos, pessoas que foram submetidas a algum procedimento cirúrgico recente.

 

Que aparelhos devem ser utilizados para fazer a Criolipólise?
Somente os equipamento certificados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) podem ser comercializados e são seguros para a aplicação da criolipólise.

As máquinas de Criolipolise devem ser aferidas regularmente para que se aumente a segurança e  resultado do tratamento.

A máquina mais tradicional do mercado e que apresenta os melhores resultados é a CRIO TOP REDUX. Para obter os melhores resultados do tratamento, sempre dê preferência â esta máquina e fuja de equipamentos de duas ponteiras.

O equipamento da BioRedux é licenciado pela Empresa Advice do Brasil com registro na ANVISA de nº 80093310027.

 

Quantas sessões de Criolipolise deverei fazer para reduzir o nível de gordura? 
Como dito acima, o tratamento de Criolipólise eliminará até 30% de gordura localizada em uma única sessão.

Caso o paciente tenha indicação poderá realizar mais uma sessão com um intervalo mínimo de 3 meses e máximo de 3 sessões por ano.

 

Em que áreas do corpo poderei fazer o tratamento de Criolipólise? 
Poderá ser realizado no abdomen inferior e superior, flancos, costas, braços, culotes, interno de coxa, joelhos, triceps.

 

tratamento de Criolipólise dói? 
O procedimento não é doloroso. Quando o congelamento começar você sentirá nos primeiros 2 minutos pressão e calor na região. Após este período, começa o congelamento e a sensação de desconforto desaparece. A maioria dos pacientes leem, acessam seus tablets e celulares  ou mesmo tiram um cochilo durante a sessão.

 

O que deve ser verificado antes de contratar o tratamento de Criolipólise?

- O equipamento é homologado pela Anvisa? 

Máquinas não certificadas ou que não sejam aferidas constantemente podem representar riscos de queimadura. Também equipamentos de Criolipólise sem essas condições podem não gerar os resultados prometidos.

-Quantos minutos duram o procedimento?

Muitas clínicas não seguem o protocolo realizando um tempo inferior ao demandado pelo tratamento.

A área que está passando pelo procedimento deve permanecer 52 minutos com a ponteira acoplada e em funcionamento.

- Que película ou manta a clínica utiliza? É de boa qualidade? 

A película ou manta é um material que fica entre a pele do paciente e a ponteira do equipamento. Este material é vital para evitar os riscos de queimadura. 

A película ou manta tem que ser utilizada uma única vez . Usou uma vez, deve-se jogá-la fora.

 

Desconfie de clínicas de Criolipólise que tenham um preço muito abaixo do mercado.

Verifique junto à clínica todos os itens que foram elencados acima, para que se evite não obter o resultado esperado ou o que é pior, sair com queimadur

Os resultados da Criolipólise são permanentes ? 
As células de gordura que passaram pelo congelamento serão eliminadas. Enquanto você mantiver o seu peso com alimentação e exercícios físicos, os resultados do tratamento se manterão estáveis.

 

Quando verei os resultados da Criolipólise ? 
Você começará a ver os primeiros resultados da Criolipólise três semanas após o procedimento. O resultado final do tratamento em torno de 20 a 30% de redução será percebido aproximadamente em 100 dias.

Posso retornar às minhas atividades normais após o procedimento de Criolipólise? 
A Criolipólise é um sistema não cirúrgico, dessa forma você retornará às suas atividades imediatamente logo após o tratamento. Alguns pacientes poderão apresentar vermelhidão e pequenos hematomas (roxos) na área que passou pelo congelamento. Isto é temporário (duração aproximada de 3 a 6 dias) e desaparecerá completamente.

 

Existem muitos homens realizando o tratamento de congelamento de gordura para redução de medidas corporais?

Homens representam 40% dos atendimentos.

 

Que áreas corporais são as mais realizadas por homens?

Homens realizam a Criolipólise mais no abdomen, flancos e peitos.

 

Alguns homens realizam a Criolipólise no peito como forma de amenizar um quadro de lipomastia?

O procedimento tem demonstrado ser muito eficiente para redução de gordura na região peitoral (lipomastia) em pacientes masculinos. É de extrema importância realizar uma anamnese bem detalhada para não confundir o caso com ginecomastia, já que essa não deve ser tratada com criolipólise. 

 

A Criolipólise está baseada em quais estudos científicos?

A criolipólise é uma técnica que elimina as células de gordura localizada através do resfriamento do tecido adiposo subcutâneo, agindo de forma não invasiva, usando temperaturas entre -5 a -15°C, provocando a quebra dessas células de gordura e as eliminando naturalmente do organismo.

O método foi criado em 2005 pela Zeltiq Aesthetics, Inc., uma empresa voltada para a estética, localizada em Pleasanton, na Califórnia, tendo se tornado um dos recursos mais eficazes para o tratamento de gordura subcutânea localizada. Com sua eficácia comprovada, a criolipólise foi adotada por clínicas de estética de vários países.

Os estudos iniciais para a criação e desenvolvimento do método foram elaborados com base nos casos de paniculite, ou seja, a inflamação do tecido gorduroso sob a pele. Notou-se, nos casos de paniculite, que os tecidos mais ricos em gordura são mais suscetíveis às lesões provocadas pelas baixas temperaturas do que os tecidos normais, que são mais ricos em água.

Com base nisso, e com o rígido controle da aplicação do frio sobre a pele, percebeu-se que era possível lesionar seletivamente as células gorduras subcutâneas, evitando danos à epiderme e à derme sobrejacentes, trazendo uma forma eficaz de tratar o excesso de gordura, cientificamente chamado de tecido adiposo, proporcionando uma nova maneira de tratar as gorduras localizadas.

 

Como se desenvolveu o tratamento de criolipólise?

Buscando entender melhor o conceito de eliminação das gorduras localizadas, os pesquisadores realizaram um teste piloto com um porco, procurando determinar a viabilidade da redução de gordura, aplicando o frio em dez áreas do animal, que ficaram expostas à temperatura de -7°C.

O tratamento levou três meses, após o que os pesquisadores puderam notar que todos os locais tiveram uma redução visível e mensurável na espessura da camada superficial de gordura. O tratamento constatou que a baixa temperatura foi capaz de induzir a morte das células gordurosas por apoptose, isto é, uma morte de células programada através da aplicação do frio, sem qualquer prejuízo seja para a pele, seja para as estruturas orgânicas existentes ao seu redor.

Outro estudo realizado posteriormente, também com porcos, revelou que a criolipólise foi capaz de reduzir a camada de gordura subcutânea depois de uma única aplicação de frio. Nesse segundo experimento, verificou-se que houve uma redução de 30% na camada de gordura sob a pele na área tratada.

Também desta vez a constatação foi que o principal mecanismo para a morte das células gordurosas foi a apoptose.

 

A Criolipólise é um procedimento seguro?

Com a publicação dos dados das experiências, mostrando a eficácia e a segurança da criolipólise, o recurso terapêutico obteve a autorização do Food and Drug Administration, o FDA, órgão responsável pela qualidade dos medicamentos e alimentos nos Estados Unidos, passando a ser utilizado desde 2010 para a redução de gorduras localizadas nos flancos, a região dorsal do corpo.

Depois disso, com a configuração de novos protocolos de aplicação, em 2012 a empresa conseguiu a liberação do FDA para aplicação também no abdômen e na região das coxas.

Com essa comprovação de sua eficiência, a criolipólise também teve seu uso autorizado pela Health Canada, pela União Europeia e pela Ásia, sendo considerado o melhor tratamento não invasivo para a redução da gordura subcutânea localizada.

 

Como funciona "cientificamente" a criolipólise?

A criolipólise deve ser entendida como o resfriamento localizado do tecido adiposo subcutâneo de forma não invasiva, com temperaturas entre -5 e -15°C, em sua medição externa, causando paniculite fria localizada e provocando a morte adipocitária por apoptose. Em palavras mais simples, cria uma inflamação nas células gordurosas localizadas causando sua morte programada, com a redução visível da camada de gordura.

A criolipólise é aplicada com uma manopla em forma de copo, utilizando um vácuo moderado para prender uma das pregas compostas de pele e gordura para dentro do aplicador, posicionando-a entre duas placas de arrefecimento.

Os painéis de resfriamento fazem a extração do calor da pele, reduzindo sua temperatura para induzir a apoptose, criando condições de quebra das células de gordura para que sejam eliminadas naturalmente.

O tratamento de Criolipólise mostrou-se tão eficiente que, atualmente, mais de 8 milhões de pessoas já passaram pela criolipólise em todo o mundo, não havendo até agora qualquer contraindicação para seu uso.

A criolipólise deve ser aplicada por profissionais com conhecimento

Um dos fatos que se verificou, no entanto, foi a crescente aquisição de equipamentos de criolipólise por estabelecimentos que não possuem uma padronização de procedimentos, gerando atendimentos duvidosos e inconsistentes.

Com a sua crescente utilização e interesse, a criolipólise tem atraído muitos interessados em estética, gerando mesmo procedimentos terapêuticos criados e executados com pouco ou nenhum fundamento com relação aos aspectos fisiológicos e práticos envolvimentos no tratamento.

Em vista disso e com a popularização da criolipólise, desde o final da década de 2000 a empresa criadora do método vem apoiando vários polos de pesquisa científica, buscando criar uma metodologia para o completo entendimento da criolipólise, instituindo também padrões e parâmetros de modulação para que seja usado de modo consciente e eficaz.

 

Desde as pesquisas iniciais com animais e estudos in vitro, a criolipólise mostrou-se eficiente para a geração da paniculite local, criando uma resposta inflamatória induzida, com o resfriamento das células gordurosas, quebrando-as e eliminando-as do organismo.

A inflamação causada pelo resfriamento é considerado o elemento que desencadeia a apoptose, sendo esta a responsável pela morte dos adipócitos, trazendo o resultado estético do tratamento.

No caso da paniculite lobular, a lesão inflamatória tem início a partir do segundo dia da aplicação da criolipólise, observando-se até mesmo após 72 horas após a utilização do método, que pode ter duração de até 30 dias.

Uma constatação importante foi a verificação de que, na semana seguinte após a aplicação da criolipólise, o infiltrado inflamatório se torna mais denso e a paniculite atinge o seu pico, que acontece por volta de 14 dias após o tratamento. Até 30 dias depois, o infiltrado inflamatório se torna mais consistente, o que faz com que os macrófagos (as células do sistema imunológico) comecem a envolver e digerir as células gordurosas mortas, sendo isso uma resposta natural do organismo à lesão provocada nessas células.

De 60 a 120 dias acontece a redução da infiltração inflamatória e do tamanho e número dos adipócitos. Além disso, acontece um espessamento aparente dos septo fibrosos, que criam um grande volume da camada subcutânea residual, culminando com a redução da camada de gordura, sendo esse o momento em que se percebe claramente o resultado final obtido pelo tratamento.

 

Devo associar a Criolipólise à outros tratamentos estéticos?

Diversas clínicas que aplicam a técnica de criolipólise desenvolveram associação de outros recursos terapêuticos, utilizando, por exemplo, ondas sonoras, como ultracavitação, ultrassom terapêutico ondas de choque, ou radiofrequência e carboxiterapia, entre outros, com vistas a aumentar a paniculite e potencializar os resultados da criolipólise.

Esses novos protocolos não encontram respaldo científico, podendo até mesmo provocar riscos à saúde de alguns clientes. A paniculite está associada a alguns quadros de afecções, principalmente quando existem tendências a vasculite e artrite reumatoide, hepatite e outros problemas de saúde. Assim, a aplicação de recursos terapêuticos não aprovados cientificamente podem mesmo provocar o aumento de processos inflamatórios.

Além disso, a utilização de alguns recursos podem causar lesões necrosantes do tecido adiposo (gorduroso), gerando fibroses residuais, o que não ocorre quando se usa somente a criolipólise.

Embora esses problemas não tenham se manifestado, havendo apenas estudo que informam serem eles possíveis, é importante notar que o uso da criolipólise deve ser feito com a cautela necessária. Enquanto o mercado ainda se utilize de formas mais contundentes do tratamento, prometendo curas milagrosas, com perdas de medidas além do convencional, é recomendado que tenhamos real segurança da utilização da criolipólise tendo como base os estudos científicos.

Muitos profissionais têm utilizado as associações terapêuticas somente 30 dias após o uso da criolipólise, quando o quadro de paniculite tem uma sensível redução. Alguns profissionais baseiam-se no fato de que novas inflamações possam reduzir mais gordura a longo prazo, inclusive com a utilização de massoterapia pós-criolipólise.

Justificando o uso da massagem pós-criolipólise, verificou-se que a massagem local restabelece a temperatura pré-tratamento mais rápido do que nas pessoas que não a receberam e esse efeito foi estabelecido como potencializador da apoptose da camada adiposa num fenômeno denominado “referfusão”.

Esse efeito pode ser reforçado por resultados obtidos em estudos com células adiposas sugerindo que, além da apoptose, a reperfusão levaria a uma inflamação, com a geração de espécies reativas de oxidação, ativação de enzimas e morte celular das células gordurosas, sendo também responsáveis pelos melhores efeitos da criolipólise.

Ainda nos estudos fundamentados sobre a criolipólise, está sendo também discutida a segurança do método em relação ao metabolismo da gordura após a morte das células. A análise inicial indicava que a gordura poderia ser liberada para o sangue, mas de forma desprezível. Verificou-se, então, que não existem alterações no perfil lipídico nem disfunções hepáticas, o que atestou a segurança da criolipólise.

A constatação é de que a gordura permanece dentro da célula até ser digerida e varrida pela inflamação natural que ocorre no local, sendo eliminadas pelos macrófagos ativos e removidas por fagocitose, não criando qualquer outro tipo de problemas futuros.

Outro procedimento indicado após o tratamento com a criolipólise indica a utilização de cinta elástica, mas esse procedimento não encontrou respaldo científico algum, sendo algo puramente comercial. A criolipólise elimina as células gordurosas de forma gradual e as que não são eliminadas são redistribuídas na área tratada durante os meses seguintes, sendo naturalmente exauridas através da fagocitose.

O procedimento da criolipólise vem se tronando um dos recursos mais procurados para o tratamento da gordura localizada, tanto por profissionais quanto por clientes, atestados pela divulgação de sua segurança e da satisfação dos que se submeteram à técnica.

Sobre a segurança da criolipólise, o método se apresenta como eficaz, inclusive com a constatação de que os efeitos adversos e colaterais são irrisórios e, quando ocorrem, não trazem sequelas ou complicações importantes, podendo ser resolvidos naturalmente em pouco tempo.

 

Qual é a periodicidade de aplicação da criolipólise?

A prática clínica comercial indica a aplicação da criolipólise em intervalos de 30 dias, acreditando-se que quanto mais aplicações, melhores seriam os resultados da queima de gordura localizada. Nenhum fato concreto, no entanto, estabelece esse prazo.

Uma das constatações feitas no tratamento através da criolipólise mostra que o tempo necessário para nova aplicação é de pelo menos 2 meses, tempo em que acontece a apoptose dos adipócitos, possibilitando que um processo de inflamação não interfira com o próximo e concedendo o prazo necessário para o começo e o fim da inflamação para eliminação da gordura.

Como foi verificado nos testes e aplicações de criolipólise, a gordura subcutânea pode ser eliminada entre 20 a 80% nos três primeiros meses após o tratamento, o que afiança a utilização da criolipólise num prazo maior do que o período de 60 dias entre suas aplicações.

Em sua aplicação, a criolipólise mostra que o grau de paniculite lobular induzida pelo frio é dependente da temperatura fria utilizada e, assim, quanto menor a temperatura, maior é o quadro inflamatório e, em consequência, os resultados de eliminação de gordura são potencializados.

A temperatura ajustada no equipamento não será obrigatoriamente aquela que vai ocorrer no tecido adiposo, principalmente nos níveis mais profundos. Os testes mostraram que a temperatura subcutânea cai, gradualmente, para níveis entre 12°C em pouco mais de 3 minutos e 5° em menos de 10 minutos, na fase de resfriamento, subindo para 18°C em menos de 7 minutos após a retirada do aplicador.

Para o paciente esse fato pode se apresentar estranho, já que o pensamento mais comum é que a temperatura negativa medida na placa seja a mesma que vai incidir no tecido gorduroso. Explica-se melhor quando se sabe que o gelo lipídico intracelular é formado em torno de 10°C, o que vai contribuir para a morte imediata ou retardada dos adipócitos pela apoptose, garantindo assim os efeitos do tratamento de gordura localizada.

O tempo de aplicação pode variar entre 30 e 60 minutos, embora o tempo mais utilizado pelas clínicas seja de 60 minutos, o que garante resultados eficientes com a devida segurança. Algumas clínicas adotam o sistema de utilizar 45 minutos, o que também pode gerar bons efeitos terapêuticos.

NewsLetter


Área Admin
Contato



Unidade: Santo André -SP   

Rua Caminho do Pilar, 620 

Santo André -  SP

Tel> 11- 4438 23 79- 4903 2440

whatsapp>  11 99761 9434